O que é o refrigerante?

O refrigerante trata-se de um gás inserido no sistema de refrigeração de equipamentos como,  Bombas de Calor, Ar Condicionados e até frigoríficos. Sem refrigerante, as Bombas de Calor e qualquer outra tecnologia que se apoia num circuito de refrigeração, não funcionariam.

Qual é a sua função? O que faz realmente?

O Refrigerante é responsável por absorver o calor de um meio e libertá-lo noutro ou seja, transferir calor de um lado A para um lado B. Nos frigoríficos por exemplo, o calor retido no interior do equipamento é retirado para o exterior, mantendo os alimentos frescos.

No início do artigo, foi referido que o refrigerante é um gás. De facto, ao longo do circuito de refrigeração, o refrigerante encontra-se em estado gasoso quando absorve calor e ‘evapora’ sendo que, após a compressão e a permuta do calor para o circuito da água (bombas de calor ar-água), o refrigerante condensa e passa ao estado líquido.

Circuito Refrigerante

Tipos de refrigerante

Ao longo dos anos foram utilizados vários tipos de refrigerantes no entanto, alguns problemas começaram a surgir. O buraco na camada do ozono derivado aos CFC’s, a necessidade de diminuir as emissões de CO2 entre algumas outras preocupações ambientais e de segurança. Tudo isto, obrigou a que novas alternativas fossem exploradas e testadas, até chegarmos às soluções seguras e ecológicas que dispomos hoje.

Clorofluorcarbonetos (CFCs)

Com certeza já ouviu falar em CFCs e no mal que eles trouxeram. Pois bem, este tipo de refrigerante foi descontinuado em 1994, uma vez que fazia a depleção da camada do ozono tendo ajudado a criar um buraco. Como tal, já não se utiliza atualmente.

Hidroclorofluorocarbonetos (HCFCs)

Os Hidroclorofluorocarbonetos ou HCFCs, surgiram como uma alternativa aos CFCs e com a intenção de reduzir o impacto causado na camada do ozono. No entanto, ainda que menor, este tipo de gás ainda causava danos nessa mesma camada. Nos dias de hoje, tendo em conta os potenciais problemas ambientais e por ser antiquado, não costuma ser aplicado em equipamentos novos.

Hidrofluorocarbonetos (HFCs)

Os HFCs continuam nos dias de hoje, a ser um excelente refrigerante sintético. Não causa danos à camada do ozono e apresenta bons resultados de eficiência. Por outro lado e em comparação com os hidrocarbonetos (HCs), têm um grande potencial na contribuição para o aquecimento global conforme se pode verificar no infográfico. 

Hidrocarbonetos (HCs)

Os hidrocarbonetos são um tipo de refrigerante orgânico e natural que, para além de não danificar a camada do ozono, apresenta um potencial de aquecimento global (PAG/GWP) extremamente reduzido. Assim, afirma-se com quase todas as certezas, que será o refrigerante do futuro e o caminho a seguir. Ao escolher equipamentos com R290 ou R600, estamos todos a ajudar o planeta.

Emissões equivalentes de CO2 de gases refrigerantes

No infográfico acima, a escala representa o impacto equivalente em quilogramas de dióxido de carbono por cada quilograma do refrigerante em causa. Por exemplo, se um 1Kg de R32 for libertado para a atmosfera, é o equivalente a uma emissão de 675Kg de CO2.

Refrigerante R290 vs. R32

R290 (HCs)

O refrigerante R290 é sem sombra de dúvida o mais ecológico. Mas e desvantagens, terá? De facto, existe uma conceção errada de que como tecnicamente se trata de gás propano, é inflamável e por isso, o risco de incêndio nos equipamentos que o utilizam é superior. Será isto verdade? Bem, fazendo as contas é fácil perceber que embora seja efetivamente mais inflamável do que R32, a quantidade ou carga necessária é bastante inferior. Ou seja, embora seja um gás mais inflamável, os equipamentos que o utilizam requerem quantidades muito inferiores reduzindo assim, a quantidade de combustível disponível no caso de realmente existir um incêndio (situação muito improvável). Para além disso e de não haver registo de incidentes relacionados com a utilização deste gás em bombas de calor, o equipamento está sempre instalado no exterior do edifício uma vez que, por lei, equipamentos com cargas >150g estão mesmo proibidos de serem instalados no interior.
Para termos uma noção, um equipamento com a mesma potência térmica, ao usar R290 necessita de cerca de 1/3 ou 30% da carga que seria necessária com R32.

R32 (HFCs)

Em comparação com todos os outros gases refrigerantes sintéticos, o R32 continua a ser o mais ecológico dessa classe. Mas então? Será este gás também inflamável? Sim, este gás refrigerante continua a ser inflamável. Como referido anteriormente, ambos são inflamáveis, o R32 menos, mas quando aplicado em equipamentos como Bombas de Calor, contém uma carga bastante superior que alimentará um incêndio por muito mais tempo. Salienta-se novamente que as situações de incêndio embora possíveis, são muito difíceis de existir.

Regulação sobre gases fluorados | UE - nº 517/2014

O fim dos gases fluorados

A UE em combate às alterações climáticas propôs e corretamente, a eliminação de gases refrigerantes prejudiciais à saúde do planeta e de todos nós. Estes gases apresentam uma alta contribuição para o efeito de estufa. Existindo uma alternativa mais ecológica, não há razão para manter o seu uso.

A EnerPlural ciente das novas regras e da urgência de reduzirmos a nossa pegada ecológica, já iniciou o processo de transição dos gases fluorados para R290 em várias das suas séries. Desta forma, todos os nossos equipamentos já saem a cumprir requisitos impostos para o futuro. Gostamos de proteger o ambiente e o investimento dos nossos clientes. Por isso, há mais de 3 anos que fabricamos equipamentos com R290.

Proteja o seu investimento, proteja o planeta, use R290!